segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

84 anos

Foto retirada daqui

[Ao lado podemos ouvir "Canto de Rua",
na gravação ao vivo em Frankfurt, em 1983,
acompanhado por Fernando Alvim]


Que são 84 anos?

Enquanto houver formas de reprodução do teu legado sonoro,
enquanto houver sensibilidade no coração das gentes,
enquanto os novos que trazemos ao mundo sentirem em ti algo distinto e tão nosso,
enquanto o tempo passar sem ficarmos indiferentes...

Quando te ouvimos, amigo
(tu tratavas toda a gente por amigo...)
É algo que fica no fundo,
Como uma pedra atirada ao poço durante a nossa infância,
E nós, demasiado pequenos, não podemos ir lá tirá-la.

A água marítima e fluvial desta terra saberá sempre ao que espelhaste em nós,
Tu que extraíste delas, água e terra,
- com a tua "pequena música", dizias -,
a sua humidade e o seu respirar,
o sentir das pessoas que as atravessavam,
os dias de trabalho,
os queixumes da vida,
inquietações...

As ruas dessas cidades litorais, fluviais,
antigas como a memória indizível de um povo, de um lugar,
como os torvelinhos da história...


84 anos não são nada, Carlos.
Sabemos que ficarias contente por saber isso.
E eu e nós aqui to dizemos:
Vamos continuar a sentir a força da tua respiração,
nos mil dedos com que tocavas a tua inseparável companheira.

Parabéns, Carlos.
Ainda és uma criança.

2 comentários:

bissaide disse...

Belo poema, tocante e do coração - outra coisa não seria de esperar, aliás!

Mas uma dúvida: de que são os 75 anos? O Carlos Paredes fazia hoje 84 anos.

Eduardo F. disse...

Tens absoluta razão, grande amigo.

Não sei aonde é que fui desencantar esse número... obrigado pelas palavras e pela correcção.

Presente.