quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Eh Vizinho Porco

José Almada - Homenagem

Homenagem (Lp de 1970)

Poema do grande José Gomes Ferreira musicado pelo vimaranense e muito esquecido (nestas alturas, desconhecido) José Almada. Hoje, dia 6 de Setembro, José de Almada Guedes Machado faz 56 anos. Onde andas, José? É assim que te prestamos homenagem.


Eh vizinho porco
todo o dia de borco
a fuçar na terra
onde nasceu

E assim o aldeão
a sua lição
de pensar menos no céu
e mais no chão.

Na terra, camponês,
também há estrelas,
que tu não vês,
mas hás-de vê-las.

14 comentários:

PELEON disse...

Muito obrigado pela informação!

josé disse...

Não me digas que és tu, o viajante anónimo do Aspirina...

Ainda assim, há um link no blog lojadeesquina.blogspot.com

E da próxima vai sair Aguaviva.

samuel disse...

É sempre engraçado encontrar pessoas que para além de gostarem de "dinossáurios", o dizem.
Quando fiz o "Cantigueiro" practicamente em casa do Zeca, nunca pensei vir a dizer isto...

josé disse...

Pois eu venho da terra assombrada do ventre da minha mãe. Nem pretendo roubar nada, nem fazer mal a ninguém.

Por isso digo que a Fala do Homem nascido é dos melhores discos da MPP. E o Samuel, tem aí uma voz de asombrar.

E nem sou de esquerda ou das capelas do costume. Sou apenas ouvinte e procuro ser justo na crítica musical.

O disco de José Niza é uma obra prima e a voz de Samuel um portento. Tenho dito a a honra de lho dizer aqui.

Eduardo F. disse...

Caro José, acho que não sou eu, pois não conheço esse tal Aspirina... É um blogue?

Caro Samuel... engraçado, se for o senhor que fez história... está um moço de 25 anos a comunicar consigo. ;) com grande prazer.

Se quiser colaborar neste blogue, enviando canções suas, ou mesmo publicar artigos, escreva-me para o endereço que tenho num outro, http://mostraivos.blogspot.com

Abraço, e cá nos encontramos.

josé disse...

25 anos? E já conheces o José Almada de nome e morada?

Eu tenho 51. E do José Almada nada sei, a não ser o disco Homenagem.

Do Samuel, sei muito mais. Musicalmente é uma maravilha ouvir a Fala do Homem nascido, felizmente reeditado em cd, mas que me parece estar esgotado.
Do Poema da malta das naus, também cantado por Manuel Freire, sei que hesito entre as duas versões e a de Samuel, é diversa e de qualidade bem mais moderna que o tom baladeiro de Manuel Freire.

Enfim, uma bênção termos estes artistas que só pecaram por defenderem politicamente algo, a meu ver, errado.
Mas a música passa bem sobre isso. E eles merecem a nossa admiração. A minha, pelo menos.

samuel disse...

Caro José
Depois de gastar alguns lenços de papel à custa da sua apreciação ao LP/CD "Fala do homem nascido", que por acaso também acho um disco do caneco, faço só um comentário ao final do seu elogio aos artistas que aprecia:
O que politicamente se defendia, mais ou menos utópico aqui, mais ou menos errado ali, era diferente de uns "cantautores" para os outros. Aquilo de que relmente me orgulho, como outros, é de ter defendido um projecto musical que ainda hoje me mobiliza.
Abraço.

P.S. Também eu balanço muito entre o "meu" Poema da Malta das Naus e o do Manuel Freire.
Temos um espectáculo os dois em que cantamos exclusivamente Gedeão e com essa cantiga e com a Lágrima de Preta, resolvemos o problema cantando as duas versões "misturadas". Nós, divertimo-nos!

samuel disse...

Caro Eduardo
Parabéns por este blog e assim que puder vou dar uma saltada ao outro.
Abraço.

Eduardo F. disse...

Muito obrigado aos dois. É óptimo ver a conversa a desenrolar-se à nossa frente. Já não há cafés... snif...

Bem, mas também queria dizer que me espantou a rapidez da resposta, já que fiz o comentário tarde. Afinal...

Bem, eu não conheço o senhor José Almada. Apenas li o que estava no Rato Records.

Mas já tive oportunidade de falar com outro vimaranense. Conhecido por Tino Flores. Quando ele canta, canta uma canção em que diz que os políticos são "terroristas... legais". Essa e outras... que pena não haver discos dele. Olhai, eu quando vi (e andei alguns anos depois de ter tido conhecimento do seu nome) um disco dele, não o larguei. É da UPAV, de 93, e chama-se "Mil Fogueiras". Um dia ponho cá uma canção dele.

É uma questão de tempo. Já que estou a tentar esgotar os artistas. Só depois retomarei os já publicados. Ainda me faltam alguns, mas é vir passando por cá.

Obrigado uma vez mais. Assim é aliciante fazer isto e escrever.

Eduardo F. disse...

Ah, eu vi o disco do Niza à venda nesses vendedores que fazem as feiras dos discos pelo país fora.

Vi-o na Festa do Avante. Agarrai-o, que eu ainda não o fiz.

Vamos a ver se ainda o apanho da próxima vez que eles vieram cá a Braga. ;)

Eduardo F. disse...

Esqueci-me de dizer que me referia a essa reedição em cd, claro. Se bem que também lá haja em vinil.

Luis disse...

Ola a todos. e com grande prazer e orgulho que vejo falarem do meu pai (Jose Almada).Ele de facto anda "desaparecido" do mundo da musica, apesar de ja ter efectuado varias tentativas para pelo menos reeditar os seus discos infelizmente sem sucesso. Pois bem vou ao importante, o meu pai encontra-se a viver na cidade de Ovar. se alguem quiser eu vou meter aqui o n.º de telemovel (916970448) dele pois sei que o meu pai nao se importa. Adorava que o meu pai conseguisse voltar a reeditar os seus disco, mas tem sido complicado pois parece que ja nao ha muita editoras interessadas no genero de musica do meu pai. As editoras, pois sei que o publico no geral continua a gostar. Fico muito contente por ver pessoas que não se esqueceram dele.
Um abraço a todos.

Luis disse...

sou a margarida ,a mulher do zé de almada e tal como o filho sou a sua maior fã. sei que o meu zé adoraria reeditar e mostrar o que tem composto ao longo de todos estes anos. pode-vos parecer presunção mas ele é como o vinho do porto" quanto mais velho melhor", a sua voz está mais madura e rica.todos ganhariamos em o voltar a ouvir

Eduardo F. disse...

Muito obrigado, Luís e Margarida.

Seria com todo o gosto que ouviria essa nova velha voz de José Almada.

Veremos até que ponto a recente descoberta do seu paradeiro poderá ser útil para que alguma coisa aconteça. A Zip Zip pertence actualmente, penso eu, à Companhia Nacional da Música. O nosso amigo João Carlos Calixto está relacionado com ela e é um fiel entusiasta da maior divulgação da sua obra.

Todos ansiamos que "algo" aconteça!

Muito obrigado e um abraço de Braga.